Meus Discos e Livros e Tudo o Mais!: Março 2012

10 de março de 2012

'Dança dos Sonhos - Nora Roberts'








Dança dos Sonhos
(Reflections and Dreams)
Nora Roberts







Quem já leu algum livro da Nora Roberts sabe, eles são viciantes. Esse trás duas histórias distintas, mas interligadas. Na primeira, conhecemos Lindsay Dunne, uma bailarina clássica com a carreira deslanchando quando um acidente com seus pais muda o rumo de sua vida. Seu pai faleceu e sua mãe ficou com sequelas e necessitando de cuidados, o que fez com que Lindsay largasse a promissora carreira em Nova York e voltasse para casa para cuidar dela. Três anos após o acidente Lindsay está bem, abriu uma escola de balé onde dá aulas e sua mãe está com a saúde melhor, ainda que não completamente curada. Ela aproveitava a calma de sua vida até conhecer o sedutor Seth Bannion, de uma forma incomum, depois de ele quase a atropelar e ainda ser acusada por ele de ter se jogado na frente do carro. E ele ainda foi capaz de chamá-la de desajeitada – ofensa máxima para uma bailarina. Ela acredita que nunca mais irá encontrá-lo, mas claro que não é o que acontece. Mas Lindsay também não esperava que ele fosse o tio e o responsável por aquela que viria a ser a mais promissora de suas alunas, e que ainda teria que brigar muito com ele por causa da carreira da menina, e também para controlar seus próprios sentimentos.

A segunda história tem como protagonista Ruth Bannion, sobrinha de Seth e se passa 5 anos depois da primeira. Ruth está consolidando sua carreira no balé, buscando ser a principal bailarina da companhia. Sua vida nos últimos anos está totalmente voltada para o balé, não lhe sobrando muito tempo para vida social ou relacionamentos que não superficiais – assim como a vida do seu parceiro de dança, o russo Nikolai Davidov. Nick é praticamente uma lenda viva do balé, e Ruth o idolatrava quando menina. Agora adulta e como sua parceira, ela sofre com o perfeccionismo dele, suas altas exigências e seu jeito autoritário, temperamental e arrogante. Além, é claro, da forte atração que começa a sentir por ele, mas sem qualquer esperança já que Nick sempre foi muito volúvel em seus relacionamentos. Nick, por sua vez, tenta bravamente controlar a atração que sente por Ruth, afinal, além de ela ser bem mais nova que ele e sua parceira de dança, ele tem que conciliar a função de diretor artístico da companhia de balé com a de coreógrafo e bailarino, e não tem tempo para complicações na vida, e um envolvimento com Ruth certamente lhe traria complicações.

Graças ao Goodreads eu descobri que os protagonistas da segunda história, Ruth e Davidov, fazem uma aparição em outro livro da Nora, o A Dança da Sedução, que faz parte da série da família Stanislavisk, que eu adoro e inclusive já resenhei aqui no blog. Li o A Dança da Sedução antes, mas nem me lembrava do nome do diretor da companhia de balé naquela história – coisa que o ego do Davidov não vai me perdoar nunca!

Para quem procura por uma leitura leve, sem muitas atribulações, esse livro é uma boa escolha. São duas histórias distintas mas por trazerem os mesmos personagens sentimos quase como se fosse uma história só – apesar de eu ter gostado mais do desenvolvimento da segunda.

Esse livro foi lançado no Brasil em 2008, nos EUA em 2001, mas na verdade é uma republicação de duas histórias publicadas originalmente em 1983. Por isso, apesar de se tratar de um romance contemporâneo, é um contemporâneo do início dos anos 80, e podemos perceber isso não só pela falta de celulares mas pela postura dos personagens, e é bom ter isso em mente durante a leitura antes de ficarmos com raiva da protagonista por algumas de suas atitudes. Não é dos melhores livros da Nora, que aqui ainda estava no início de sua carreira, mas é uma leitura gostosa e despretensiosa. Um daqueles livros que já sabemos como vai terminar, mas mesmo assim é bom descobrirmos o que acontece até lá. E olha, depois que eu terminei de ler a trilogia Jogos Vorazes, eu estava precisando de uma leitura calma e previsível, rs. Não sei vocês, mas tem horas que tudo o que eu quero é um romancinho água com açúcar para me distrair, e esse cumpre bem esse papel!, rs.


***

6 de março de 2012

'A Esperança - Suzanne Collins'








A Esperança
(Mockingjay)
Suzanne Collins








A Esperança é o livro que encerra a série Jogos Vorazes. Chegando até aqui conhecemos Panem e o modo como uma Capital controla seus Distritos pelo medo, pela violência e pela fome; participamos de mais Jogos Vorazes do que gostaríamos; assistimos à crueldade, violência e impiedade; perdemos personagens queridos que, cada um a sua forma, lutavam pelo que acreditavam; conhecemos os rebeldes, como eles tomaram coragem para enfrentar a opressão da Capital e como Katniss, mesmo involuntariamente, se envolveu em tudo isso. Katniss, a garota em chamas, que teve que amadurecer cedo ao se tornar responsável pelo sustento da família e se viu jogada em uma arena para lutar por sua vida; conhecemos Peeta, o garoto do pão, que mostrou coragem, carisma, compaixão, amor; conhecemos a força e determinação do Gale, as fantásticas criações do Cinna e percebemos que Finnick é muito mais que só um rostinho bonito.

Sobre o que gira a trama desse último livro? Em uma palavra: guerra.

Foi uma leitura sofrida, mais lenta que a dos demais livros. Há tanta dor e sofrimento que foi impossível pra mim não sofrer junto. Na verdade eu queria o Peeta dormindo comigo para me impedir de ter pesadelos... Sabe quando terminamos uma leitura nos sentindo completamente esgotados? Emocionalmente esgotados? Então. E não, eu não vou conseguir traduzir em palavras todos os sentimentos que esse livro, que essa série, me trouxe. A angústia, o sofrimento, o medo, a aflição, as lágrimas, o aperto contínuo no peito. Tensão define esse livro. Por várias vezes tive que parar, tomar um ar, fazer outras coisas para então continuar a leitura. É impossível deixar de lado a carga de crítica social que nos é apresentada e não refletir sobre tudo. Impossível ficar indiferente.

Quem leu minha resenha do primeiro livro viu que eu deixei um conselho sobre não se apegar aos personagens. Eu reforço esse conselho aqui, e ele vale para todos os livros da série. Sofri por alguns personagens no decorrer da série, mas as perdas deste livro são as piores. O que eu passei no primeiro livro não tem nem comparação com o que eu passei nesse, uma das perdas que enfrentamos, em especial, me desmontou a ponto de eu não poder nem ver o nome do personagem sem ficar abalada. Em um outro momento, eu me peguei chorando ao descobrir um personagem que, no final das contas, ainda estava vivo, rs.

Se o livro é bom? Depois desses sentimentos todos, não há como não ser.

Vi muita gente decepcionada com o final da série, mas eu até que fiquei satisfeita. Achei plausível o final do Gale, Peeta e Katniss. Os acontecimentos do livro são brutais e todos levarão as marcas para sempre. Também fiquei satisfeita com o desfecho da história de Panem (apesar de que eu pouparia a vida de alguns personagens). Mas que eu queria um desenvolvimento um pouquinho maior no final, eu queria. Suspirei com o diálogo antes do epílogo, mas queria uma maior descrição de tudo o que levou àquele momento. Bem, paciência, mas nem por isso deixei de achar o livro ótimo. Só que o “A Esperança” do título em português ainda não me desceu. Alguém me conta onde está a tal da esperança?

Agora eu preciso urgentemente de um romance dos mais bobinhos para aliviar a tensão que eu passei com essa série!!! Socorro!! rs





Jogos Vorazes #1 – Jogos Vorazes (The Hunger Games)
Jogos Vorazes #2 – Em Chamas (Catching Fire)
Jogos Vorazes #3 – A Esperança (Mockingjay)



***